Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /nfs/c04/h04/mnt/63810/domains/bonjourprojetos.art.br/html/wp-content/themes/Divi version 3/includes/builder/functions.php on line 4556
Sobre nós | Bonjour Projetos

Sobre Nós

Trabalhamos de forma colaborativa, cada profissional de nossa rede contribui com sua experiência para a especificidade de cada projeto. Por isso, temos uma equipe de consultores com diferentes especialidades. Ao nos contatar, estudaremos a melhor forma de lhe atender integralmente, acionando os membros competentes de nossa equipe.
Ana Maria Bonjour

Ana Maria Bonjour

Direção geral

Ana Maria Bonjour é formada em História Social da Cultura pela PUC-Rio, mestre em Artes da Cena pela UFRJ e iniciou sua carreira de produtora em 2003. Desde então trabalha em diversos projetos de cultura. É atriz, escritora e participa do Coletivo Bobo. Entre 2003 e 2011, colaborou com a Vertigo Escritório de Produção e fez a produção executiva da Primavera dos Livros – Festival de editoras Independentes do Brasil e do Anima Mundi no Rio e São Paulo, entre outros trabalhos.Em 2011 criou e captou o Projeto Interiores. Neste mesmo ano fez a direção de produção da exposição itinerante Hélio Oiticica Museu é o Mundo em Brasília e Belém. Idealizou e estruturou a Livraria Odeon (2008) – Livraria de cultura dentro do Cinema Odeon, com catálogo focado em artes. Criou o Boca de Baco 2009: Festival de cultura na Cinelândia, RJ. Fez a Direção de produção do Projeto Polígono Móvel no Médio Amazonas, projeto de artes plásticas com oficinas diversas ministradas por artistas plásticos na comunidade ribeirinha Corocoró do Médio Amazonas selecionado pela Funarte em 2008. Foi Coordenadora do Projeto Educativo da exposição PENETRÁVEIS – HÉLIO OITICICA 2008 no Centro Cultural Hélio Oiticica. Produção técnica do Riocenacontemporanea 2006. Festival Internacional de Artes Cênicas do Rio de Janeiro. Produção do seminário Internacional “A Constituição do Comum: Cultura e Conflito no Capitalismo Contemporâneo” 2007 pelo programa Cultura e Pensamento do MINC. Atuou junto à Associação de moradores da Rocinha para criar em 2003 a “ Casa de Cultura da Rocinha”.

Consultores
Damiana Guimarães

Damiana Guimarães

Artes cênicas

É sócia na produtora “Bloco Pi Produções”, realiza diferentes trabalhos de artes cênicas no Rio de Trabalho, em todas as suas etapas: inscrição em editais, capitação, produção executiva, gestão financeira e prestação de contas. Entre seus trabalhos mais recentes, destacam-se: Vestido de Noiva – Direção Renato Carrera (2013); Os Bons Serviços – Direção Fábio Porchat (2014); Não Quero Dormir Agora (Infantil) – Direção Renato Carrera (2014); Casa da Morte – Grupo Pequeno Gesto- Direção: Antônio Guedes (2014); Carta ao Pai – Direção Antonio Gilberto (2014/2015/2016); Redoma – Núcleo Valéria Martins (Dança) (2016); Um Ato! – Direção Renato Farias e Gabi (2016); In Comum – Grupo Pedras – Direção Marina Benzze (2016/2017); Gisberta – Direção Renato Carrera (2017); TURNÊ NACIONAL A Filha do Teatro – Grupo Pequeno Gesto- Direção: Antônio Guedes – São Paulo /SESC BELENZINHO (2012). Carta ao Pai – direção Antonio Gilberto – Circuito Cultural Paulista: Matão, Mococa, Cerquilho, Andradina, Votuporanga, Fernandópolis, Araçatuba e Buritama (2016). TURNÊ INTERNACIONAL A SERPENTE – Grupo Teatro do Pequeno Gesto – Direção Antonio Guedes – Porto, Coimbra, Braga e Lisboa (2013); Carta ao Pai – Direção Antonio Gilberto – Porto/Portugal (2015).

Dyonne Boy

Dyonne Boy

Terceiro setor

É artista, empreendedora cultural, ativista. Graduada em jornalismo pela PUC-Rio. É mestre em Projetos Sociais e Bens Culturais da Fundação Getúlio Vargas, e concluiu o MBA em Gestão Cultural da Universidade Candido Mendes. É bacharel em Dança Contemporânea na Escola Angel Vianna. Fundou o grupo de teatro Troglô, sob direção de João Brandão, e em parcerias com Deborah Colker, Gringo Cardia e Intrépida Trupe. Como atriz profissional, trabalhou com Moacyr Góes e Cristiane Jatahy, entre outros. Trabalhou no JN da TV Globo e na Globo.com, onde foi responsável pela área de teatro e cinema. Fundou a ONG Grupo Cultural Jongo da Serrinha, e dentro de sua gestão, o grupo ganhou diversos prêmios como o Itaú-Unicef e o Cultura Viva, e o registro como Patrimônio Imaterial do Sudeste. Produziu ainda dois discos do grupo, e dirigiu e produziu e as temporadas do Jongo da Serrinha no Teatro Carlos Gomes.

João Bernardo Caldeira

João Bernardo Caldeira

Teatro

Formado em Comunicação e mestre em Artes da Cena pela UFRJ, foi diretor de produção de espetáculos como “Avenida Central”, “Funk Brasil – 40 Anos de Baile”, “A Bruxinha que Era Boa”, “A Natureza do Olhar”, “Os Ruivos” e “Agora É Tempo”. Dirigiu as peças “Avenida Central” e “A Morta”. Venceu editais e utilizou mecanismos de renúncia fiscal municipais, federais e estaduais, como prêmios Montagem Cênica 2011, Funarte Myriam Muniz, Programa de Fomento da Prefeitura do Rio, Programa Petrobras Distribuidora de Cultura e Circuito Estadual das Artes.
Raquel André

Raquel André

Performance

(Caneças, 1986) Estudou na Escola Superior de Teatro e Cinema. Trabalhou com vários diretores e artistas portugueses, inlcuindo Tiago Cadete (NO Digital, Last e Turbolento, com tour por Portugal, Brasil, Cuba e Argentina). Em 2011, realizou uma residência na Cia dos Atores no Rio de Janeiro. Mas os cinco meses tornaram-se cinco anos a trabalhar com sotaque carioca, assistente de Bel Garcia no Conselho de Classe, Beije Minha Lápide, Matamoros, Inglaterra e Oréstia, e assistente de curadoria de Cesar Augusto no Galpão Gamboa. Recentemente finalizou o seu Mestrado em artes performativas na Universidade Federal do Rio de Janeiro, com a bolsa internacional da Fundação Calouste Gulbenkian. Atualmente trabalha nos seus projetos autorais, mais info em www.raquelandre.co

Thiago Vedova

Thiago Vedova

Música

Produtor cultural desde 2002 e atua no desenvolvimento de projeto, consultoria digital e curadoria. Entre seus principais trabalhos estão: Coordenador de Produção e um dos Curadores o Festival Dia da Rua, Leblon e Ipanema (2008 à 2015). Curador de Musica do Projeto Entre – Residência-Artística do Espaço Cultural Municipal Sergio Porto / RJ (2010 à 2014 e de 2016 e 2017). Curador de Música do Projeto Vem!Ágora – Residência-Artística do Teatro Ipanema / RJ. (2016 e 2017). Coordenador de Produção e Curador do projeto Veraneio – Oi Futuro Ipanema: Lei Estadual de Incentivo – ICMS (2014 à 2016). Coordenador de Produção do Cine Rua Farm – Edições Arpoador, MAM e Parque das Ruinas – Lei Rouanet (2016). Coordenador de Produção da SP2 no Palco Praça Mauá – Boulevard Olímpico – Rio 2016 – Sport Production (Interação com o publico, telão e transmissão esportiva). Coordenador de Produção e curador do projeto A.NOTA – Oi Futuro Ipanema: Lei de Incentivo – ICMS (2013 à 2017). Produtor e Curador do evento Natal Sem Fome de Sonhos, da ONG Ação da Cidadania. (2007). Curador de Música e Coordenação de Produção do Projeto de musica Reserva +, da marca Reserva (2011 a 2012). Produtor de edições dos shows do programa do Palco MPB – Diogo Nogueira, Zé Ramalho… (2014). Coordenador de Produção e Curador do projeto Paralelos – Oi Futuro Ipanema: Lei Estadual de Incentivo RJ (2014). Curadoria musical e Direção de Produção dos shows da Babilônia Feira Hype (2011 à 2015). Coordenador de Produção e Curador do projeto Som da Casa – Projeto especial de música das sandálias Ipanema / Casa Ipanema (2014 e 2015).

Flavia Meireles

Flavia Meireles

Dança

Flavia Meireles é artista-etc. Doutoranda em Comunicação e Cultura na UFRJ, mestre em Artes Visuais (EBA/UFRJ), licenciada em Dança (FAV/RJ). Coordena o grupo de pesquisa Temas de Dança (www.temasdedanca.com.br). Foi professora de História da Dança na Escola e Faculdade Angel Vianna de 2005 a 2015. Lecionou no bacharelado em Teoria da Dança  da UFRJ (2015-16). Ministrou o curso “Dramaturgia em Dança” em 14 regionais SESC do Brasil  (2015-16). Fez a coreografia do longa-metragem “Pendular”, da cineasta Julia Murat. Alguns de seus trabalhos artísticos são: “Ocupa Árvore”(2014), “Trabalho para comer” (2012) e “sem nome todos os usos” (2010). Foi residente no centre d’exchange dês Récollets em Paris (2010). Dançou com os coreógrafos Paulo Caldas, João Saldanha, Gustavo Ciríaco, entre outros. É interessada no cruzamento de linguagens, em modos de produção em arte contemporânea e na relação entre arte e política tendo como foco o corpo.

Tarcila Jacob

Tarcila Jacob

Áudio Visual

È produtora e atua como agente de estratégia, projetos especiais e produção executiva na área cultural e áudio visual.  No setor áudio visual participou de diversos premiados projetos como Tatuagem – Hilton Lacerda (2011), Febre do Rato – Cláudio Assis (2012),Pernamcubanos – Nilton Pereira (2012),O Peregrino – Daniel Augusto (2013)uma co- produção Brasil/ Espanha, Nuvem Cigana – Cláudio Lobato (2013), Campo Grande –Sandra Kogut (2014), Pele R$1,00 – Dandara Guerra e Aline Guimarães (2014), curta-metragem contemplado no edital do protagonismo da juventude negra, O filme da minha vida – Selton Mello (2015), O Segredo de Abigail – Isabel Penoni e Valentina Homem (2015) que foi selecionado para a Quinzena dos Realizadores de Cannes.Atua hoje na produtoraBananeira Filmes como Coordenadora Executiva nos projetos em finalização: Zama – Lucrécia Martel (2015), Redemoinho – José Luiz Villaramim (2015), Deserto – Guilherme Weber (2015). Na área de artes visuais vem viabilizando o desenvolvimento de exposições e projetos para artistas diversos. Realizou a produção dos espetáculos e oficinas teatrais da Cía dos Prazeres: Helio GaBaalo – A Guerra dos IníCios (2013) , Helio GaBaalo2 – Ás Julias, TransPirados em Artaud (2014) – nas Arenas culturais da Penha, Pavuna e Madureira , Salve os Prazeres (2014) – no Morro dos Prazeres todas dirigidas por Lucas Weglinski. Envolvida nas questões políticas e sociais de educação e desenvolvimento cultural, realiza cursos de produção nas comunidades cariocas. Produziu para a Anistia Internacional no Brasil as Campanhas: Jovem Negro Vivo, Maratona de Cartas 2014,Lançamento do Relatório Anual 2015, Ação Urgente Redução não é solução 2015, Relatório Internacional Letalidade Policial 2015. Se dedica também desde o início de 2013 ao projeto coletivo artístico, cultural e político BOTA NA RODA,com 11 edições no Brasil e 01 edição em Lisboa na Galeria Zé dos Bois.

Sandra Pedroso

Sandra Pedroso

Prestação de contas

Doutoranda em Ciências Políticas no IUPERJ. Mestre em Sistema de Gestão de Projetos com foco em Responsabilidade Social pela UFF e bacharel em Ciências Contábeis.Nos últimos anos exerceu diversas funções na área cultural e cinematográfica. Foi Coordenadora Técnica da ANCINE, da Lei Estadual de Incentivo a Cultura e Membro do Comitê técnico da Lei do ISS/RJ,professora de produção na faculdade de cinema da Universidade Estácio de Sá e da faculdade de Produção Cultural da Candido Mendes. Atualmente é Diretora do Ateliê de Cultura, professora de Gestão Financeira na pós-graduação e no MBA de Produção Cultural da UCAM e na graduação do IUPERJ. Atua como consultora administrativa e financeira em Gestão de Projetos Culturais e sociais em diversas empresas e vice coordenadora do grupo da ABCR – Rio e membro do Comitê Setorial do ISS/RJ. http://ateliedecultura.com.br/